Saúde

Psoríase

A psoríase é uma doença crônica, autoimune, ou seja, àquela em que o organismo ataca ele mesmo, com incidência genética em cerca de 30% dos casos e não contagiosa. Tem gravidade variável, podendo apresentar desde formas leves e facilmente tratáveis, até casos muito extensos que levam à incapacidade física, acometendo também as articulações. No mundo, são mais de 125 milhões de pessoas que tem a doença. No Brasil, são mais de 5 milhões de portadores.

A psoríase é uma doença crônica, autoimune, ou seja, àquela em que o organismo ataca ele mesmo, com incidência genética em cerca de 30% dos casos e não contagiosa. Tem gravidade variável, podendo apresentar desde formas leves e facilmente tratáveis, até casos muito extensos que levam à incapacidade física, acometendo também as articulações.

Doença da pele relativamente comum, crônica e cíclica, ou seja, apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem periodicamente. Caracterizada por lesões avermelhadas e descamativas, normalmente em placas. Essas placas aparecem com maior frequência no couro cabeludo, cotovelos e joelhos mas, pés, mãos, unhas e a região genital também podem ser afetados. A extensão da psoríase varia de pequenas lesões localizadas até o comprometimento de toda a pele.

De acordo com a localização e características das lesões, existem vários tipos de psoríase:

– Psoríase Vulgar – lesões de tamanhos variados, delimitadas e avermelhadas, com escamas secas, aderentes, prateadas ou acinzentadas que surgem no couro cabeludo, joelhos e cotovelos

– Psoríase Invertida – lesões mais úmidas, localizadas em áreas de dobras como couro cabeludo, joelhos e cotovelos

– Psoríase Gutata – pequenas lesões localizadas, em forma de gotas, associadas a processos infecciosos. Geralmente, aparecem no tronco, braços e coxas (bem próximas aos ombros e quadril) e ocorrem com maior frequência em crianças e adultos jovens

– Psoríase Eritrodérmica – lesões generalizadas em 75% ou mais do corpo

– Psoríase Ungueal – surgem depressões puntiformes ou manchas amareladas principalmente nas unhas da mãos

– Psoríase Artropática – em cerca de 8% dos casos, pode estar associada a comprometimento articular. Surge de repente com dor nas pontas dos dedos das mãos e dos pés ou nas grandes articulações como a do joelho.

– Psoríase Postulosa – aparecem lesões com pus nos pés e nas mãos (forma localizada) ou espalhadas pelo corpo

– Psoríase Palmo-plantar – as lesões aparecem como fissuras nas palmas das mãos e solas dos pés.

 

No mundo, são mais de 125 milhões de pessoas que tem a doença. No Brasil, são mais de 5 milhões de portadores.

Além da genética, outros fatores estão envolvidos no aparecimento e evolução da doença. Fatores psicológicos, estresse, exposição ao frio, uso de certos medicamentos e ingestão alcoólica pioram o quadro.

Psoríase não tem cura, tem tratamento. Não há como prevenir a doença, embora seja possível controlar a reincidência.

Algumas recomendações são de extrema importância na vida de pacientes com psoríase:

– Hidrate muito bem a pele, para evitar seu ressecamento excessivo pois favorece a possibilidade de desenvolver lesões

– Exponha-se com cuidado e moderadamente ao sol, mas antes passe um creme hidratante ou terapêutico

– Evite a ingestão de bebidas alcoólicas

– Procure não se desgastar emocionalmente. O estresse tem papel importante no aparecimento das lesões. Como não é uma tarefa fácil, procure ajuda de um profissional se considerar necessário

– Não fuja de encontros sociais e de lazer por causa das lesões. Psoríase não é contagiosa e, se você se afastar de tudo e de todos, pode comprometer o estado emocional e aumentar o problema

– Visite regularmente o dermatologista e siga à risca suas orientações. Isso o ajudará a controlar as crises

Sua pele é seu maior órgão, então qualquer coisa que afete a sua pele pode eventualmente influenciar o seu bem-estar geral. A psoríase é muito mais do que ter placas que aparecem e coçam. A visibilidade de manchas escamosas e secas na pele faz parte do núcleo da carga emocional da psoríase.

Quando uma pessoa não é capaz de socializar saudavelmente e, sente-se vitimizada e estigmatizada em decorrência da doença é natural que viva triste e desenvolva dificuldades emocionais, facilitando o surgimento ou agravamento das placas psoriáticas.

É preciso compreender que sua pele e seu cérebro estão conectados. O estresse pode ser o desencadeador para as erupções cutâneas da psoríase em até 80% dos casos. Então, uma vez que você está estressado, os sintomas da psoríase podem piorar, o que posteriormente irá piorar a sua saúde psicológica e seu comportamento sócio-emocional.

Não há nenhuma vergonha em procurar ajuda. Pacientes psoriáticos não precisam mais deixar que a doença limite suas vidas.

 

Biografia

thumbnail

Michele K. B. Machado formou-se em Farmácia, no ano 2000, pela Universidade Metodista de Piracicaba. Focou seus estudos na gestão de pessoas e, no varejo farmacêutico, onde atuou nestes 18 anos de formação.
Sua responsabilidade profissional e, seu viés social proporcionaram verdadeiros cases de sucesso no cuidado à saúde da comunidade. Sempre pautada em orientações verticalizadas e socialmente necessárias contribuiu para a manutenção e geração de cuidado à saúde das comunidades em que esteve inserida

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s